Pé Na Escola | Educação Política Criativa | Educação Política Criativa: que destino vamos desenhar juntos?
21519
post-template-default,single,single-post,postid-21519,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-2.6,wpb-js-composer js-comp-ver-4.9.2,vc_responsive
 

Educação Política Criativa: que destino vamos desenhar juntos?

Educação Política Criativa: que destino vamos desenhar juntos?

Inspirações a partir do Museu do Amanhã no Rio de Janeiro

 

Uma das bases do Pé na Escola é esta: Educação Política Criativa, a arte de construir soluções para os desafios sociais e constantemente mudar as perguntas.

Nosso olhar para a política tem como foco as decisões coletivas tomadas na comunidade (microcosmo), no país e no mundo. A educação que faz sentido para nós é a participativa, gerada nos encontros de singularidades, no debate respeitoso de ideias diversas. E a criatividade é o motor de tudo isso: realizar, por a mão na massa, inventar projetos que deem vida aos nossos sonhos.

Nos últimos anos, a ação humana na Terra tem impactado o clima, o curso dos rios, a biodiversidade – agimos modificando moléculas e continentes; geramos culturas diversas e temos inúmeras questões éticas para responder, sobre o planeta e sobre a vida de cada ser humano.

Na Baía de Guanabara, a prefeitura do Rio inaugurou, em dezembro de 2015, um espaço alinhado com este propósito: um museu de ciências diferente, um ambiente de explorações sobre o amanhã que queremos. Erguido sobre os pilares éticos da Sustentabilidade e Convivência, ele explora a época de profundas transformações em que vivemos e os possíveis caminhos para os próximos 50 anos.

Estive lá no mês passado e a visita foi inspiradora e surpreendente. A começar pela arquitetura, que lembra um DNA, uma nave ou um avião. O edifício utiliza água de captação das chuvas, energia solar e materiais recicláveis em sua construção. A água da Baía, por exemplo, é usada para o sistema de ar-condicionado e depois devolvida mais limpa, em uma cascata atrás do prédio, como ato simbólico.

museu do amanhã noite

 

 

 

Sustentabilidade_1280x800_MdA-CesarBarreto

Quem somos, de onde viemos, para onde vamos?

O Museu do Amanhã traz mais perguntas que respostas e utiliza a linguagem sensível para comunicar. A narrativa da exposição principal nos faz percorrer o infinito e chegar no hoje, cheios de reflexões para levar pra casa: iniciamos com o Cosmos, passamos pela Terra, o Antropoceno, o Amanhã e terminamos no Nós.

Nós: crianças, jovens, adultos, idosos, todos podemos participar e interagir com a arte do museu. A proposta é justamente esta: tecer relações entre realidades plurais, pensando globalmente e agindo localmente. Entre ações locais relevantes promovidas naquele contexto, destacam-se as ações do setor de Relações Comunitárias, que se dedica a engajar os públicos vizinhos no processo de construção coletiva do Amanhã, por meio de programação cultural, bilhetes gratuitos e mobilização.

A Educação Política Criativa que propomos e a mensagem do Museu do Amanhã são, portanto, convites à Responsabilidade de cada um de nós em construir um mundo melhor, porque o futuro não está definido. Depende de diálogo, síntese, planejamento, mão-na-massa e poesia.

Temos poder de escolha e nossas ações importam.

Vanessa Pinheiro, cofundadora do Pé na Escola

 

Churinga

“Churinga é uma ferramenta simbólica milenar das culturas aborígenes australianas que serve para costurar o tempo, conectando passado e futuro. O Museu do Amanhã aspira ser uma churinga para o século XXI.”

 

 

 

Sem comentários

Deixe um comentário